segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Interpretação de Textos

INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS
            Assunto obrigatório em qualquer concurso seja de nível fundamental, médio ou superior evoluiu na forma de se perguntar. Passou-se do simples “Quem viu a uva?” dos textos “João viu a uva” para complexos “Pode-se inferir do texto...”.
            As questões de interpretação são maioria nas provas, logo são elas que,muitas vezes, decidem quem será convocado ou tentará mais uma vez. Alguns concursos militares, contrariando esta perspectiva, ainda “teimam”  na decorada gramática.

1. Como se começar uma prova de Língua Portuguesa
         Cursos, livros e professores instruem os candidatos a começarem a prova lendo, não só uma mas duas ou até mesmo três vezes, o texto.
            Contrariando todos eles antes de ler o texto leia as questões. Por quê?
            Analisando alguns textos, todos retirados de provas de concursos, percebe-se que essa atitude pode poupar tempo de duas formas: há provas que se consegue, perfeitamente, resolvê-las sem a leitura do texto; e existem duas formas dos textos apresentarem-se: com ou sem numeração de linhas. Neste caso a leitura das perguntas e imprescindível. 

1.1. Textos que dispensam a leitura 
            A leitura atenta de um texto com aproximadamente trinta linha não é feita em menos de sete a oito minutos, esse tempo poupado será distribuído nas demais questões. Devem-se resolver as questões de gramática conforme as leem, caso se depare com alguma que necessite de leitura do texto passe para próxima e continue até terminar todo prova. 
            Exemplo de texto que dispensaram leitura:
  
CBMERJ – Guarda-vidas - 2008
Falemos de salva-vidas
Salva-vidas, guarda-vidas ou nadador-salvador, banheiro é a pessoa que tem o escopo de evitar afogamentos e assim preservar a vida de quem se vê envolvido em uma situação crítica no mar, em rios ou piscinas.
Em muitas cidades litorâneas, há salva-vidas em praias mais freqüentadas e/ou perigosas, para pronto atendimento aos banhistas ou para avisar dos riscos provocados por animais como águas-vivas ou tubarões.
A formação de um salva-vidas deve ser completa: nadar muito bem, conhecimento das técnicas de respiração e massagem cardíaca e agilidade nas ações de salvamento, onde segundos se tornam preciosos.
As bandeiras colocadas em postos ou cadeirões funcionam como indicadoras das condições de banho no dia, são de três cores diferentes:
1. Verde que indica mar bom.
2. Amarela que indica atenção.
3. Vermelha mar ruim.
Funcionam na equivalência de um semáforo.
Sem esquecer das bandeiras vermelhas postas nas praias com o seguinte dizer "local perigoso" são colocadas na frente das correntes de retorno (Rip), não é permitido a entrada de banhistas nestes locais, pois, é aí que acontecem os afogamentos por imprudência e até mesmo falta de informação dos banhistas que, na grande maioria das vezes, são visitantes ocasionais ou veranistas.
Essa corrente pode variar de lugar para lugar dependendo do vento, lua e, até mesmo, da pressão atmosférica.
Sua velocidade é de 3 m/s; isso significa que nem o melhor nadador que nada 2m/s consegue nadar contra essa corrente. A melhor maneira seria 1º) nem ter entrado nela, pois com certeza estaria sinalizada; 2º) não tentar vir diretamente para terra, pois assim você estaria desafiando a natureza e com ela não dá para competir e 3º)
nadar para o lado procurando assim o banco de areia (se não conseguir nade até o final da corrente), depois saia pelo lado.
Também se pode dar o nome de salva-vidas às bóias de sinalização.
(WIKIPEDIA, colhido em 22.02.2008.)
Questão 11
Os termos “salva-vidas”, “guarda-vidas” ou “nadador-salvador”, “banheiro” empregados no texto são:
A) sinônimos.
B) antônimos.
C) homônimos.
D) hipônimos.
E) parônimos.

Questão 12
No fragmento “onde segundos se tornam preciosos.”, o termo “segundos” pertence à classe dos:
A) adjetivos.
B) substantivos.
C) numerais.
D) advérbios.
E) preposições.

Questão 13
Na décima oitava linha do texto, a seqüência “por imprudência” expressa:
A) conseqüência.
B) condição.
C) concessão.
D) modo.
E) causa.

Questão 14
No fragmento “(,,,)banhistas que, na grande maioria das vezes, são visitantes ocasionais ou veranistas”, a expressão reiterada “grande maioria” é uma:
A) contradição.
B) redundância.
C) imprecisão.
D) formalidade.
E) equívoco.

Questão 15
O emprego da segunda vírgula no fragmento “Dos medos nascem os corações; e das dúvidas, as certezas.” serve para indicar:
A) posposição do sujeito.
B) antecipação de termos.
C) repetição de estrutura sintática.
D) elipse do verbo.
E) separação de elementos de mesma função.

Questão 16*
O significado do fragmento “Em muitas cidades litorâneas, há salva-vidas em praias mais freqüentadas e/ou perigosas...” não se altera se se substituir o verbo por:
A) existe.
B) existirão.
C) exitem.
D) existiam.
E) existiriam.
* A questão foi anulada por erro de digitação.

             O texto acima, muito extenso, traz apena questões de gramática, dispensando sua leitura.
    
1.2 Texto em que é essencial a leitura
            Textos de leitura obrigatória são os que trazem questões de interpretação.
Supondo que o primeiro texto contivesse quatro ou cinco questões de interpretação, lembrado que as linhas não estão numeradas, do tipo:
1) Na passagem do texto “transcrição da passagem” ....
2) Infere-se da passagem “transcrição da passagem” ....
3) Com base na passagem “transcrição da passagem” pode-se chegar a conclusão que....
4) Analisando a transcrição do texto I “transcrição da passagem” e a do texto II “transcrição da passagem” chega-se a conclusão que...
            As passagens não trazem referências de sua localização do texto no mínimo quatro vezes para localizá-las. E se fossem dez ou quinze questões?
            Principalmente nesses casos leitura das questões deve prescindir a do texto, pois após lê-las inicia-se a do  texto já sabendo o que será perguntado, marcam-se, com o número das questões, as passagens no texto já na primeira leitura, depois é apenas voltar na numeração e marcar a opção correta.
            Exemplo de texto que é indispensável leitura:
FAETEC 2010 – Ensino Médio
PASSANDO A LIMPO
Revista Discutindo a língua portuguesa, nº 5
            A palavra “gari” não vem do Latim, como muitos poderiam supor. Pedro Aleixo Gary foi um empresário francês, radicado no Brasil, que em 10 de outubro de 1876 assinou contrato com o Ministério Imperial para a limpeza do Rio de Janeiro. É por causa dele que muitos lixeiros, em diversas cidades do País, são chamados de “gari”. Tal processo de formação a partir de nomes próprios, fenômeno conhecido como antroponímia, ocorre pontualmente.

01. A finalidade principal do texto é:
A) valorizar a Educação no período imperial.
B) indicar a origem histórica de um vocábulo.
C) explicar os vários processos de formação de palavras.
D) informar como se formam nomes próprios de nomes comuns.
E) ensinar a razão de alguns nomes próprios se tornarem nomes comuns.

02. “A palavra “gari” não vem do Latim, como muitos poderiam supor”. Em outras palavras, depreende-se dessa frase que:
A) muitos acham que a palavra “gari” vem do Latim.
B) muitos não supõem que a palavra “gari” venha do Latim.
C) muitos pensam que a palavra “gari” não venha do Latim.
D) não são muitos os que pensam que a palavra “gari” venha do Latim.
E) não são muitos os que pensam que a palavra “gari” não venha do Latim.

03. O verbo supor equivale a “fazer uma suposição”; a alternativa em que a correspondência semelhante está errada é:
A) doar = fazer uma doação
B) limpar = fazer uma limpeza
C) prever = fazer uma provisão
D) importar = fazer uma importação
E) oferecer = fazer um oferecimento

04. No texto vê-se que o nome de uma pessoa – Gary – tornou-se um substantivo comum: “gari”. A frase em que o termo sublinhado exemplifica o mesmo fato é:
A) A Petrobras é a nossa maior companhia de petróleo.
B) A Comlurb é responsável pela limpeza das ruas.
C) O Ministro reclamou da cobertura de O Globo.
D) O Natal é uma data importante do calendário.
E) O cristo da inflação foi o preço dos aluguéis.

05. “...para a limpeza do Rio de Janeiro”. A forma equivalente a essa frase do texto é:
A) a fim de limparem o Rio de Janeiro
B) apesar de limparem o Rio de Janeiro
C) quando da limpeza do Rio de Janeiro
D) em relação à limpeza do Rio de Janeiro
E) mesmo com a limpeza do Rio de Janeiro

06. “É por causa dele...”; o termo sublinhado se refere ao:
A) Latim
B) lixeiro
C) Rio de Janeiro
D) Pedro Aleixo Gary
E) Ministério Imperial
            É impossível a resoluções dessas questões sem a leitura do texto.


Um comentário:

  1. Oláá.. Professor,

    Eu respondi as questões acima, e agora gostaria se possível que o senhor postasse o gabarito!!

    Obrigada,

    Ana Carolina

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!